Queijos

Gorgonzola

Típico da Lombardia, este queijo nasceu na cidade de gorgonzola, nos arredores de Milão, no século 10, sendo assim um dos mais antigos queijos do mundo.
Gorgonzola foi fundada antes do ano 1.000, numa estrada construída pelos antigos romanos. Cinco séculos depois, foram abertos os canais que permitiram o transporte de mercadorias para Milão e que também trouxeram muitos viajantes para experimentar o queijo saboroso inventado na cidade. Segundo Ilze Scamparini, 2012.

Segundo o historiador italiano Bruno Giussani, os camponeses na época ofereciam o capim e em troca recebiam o leite para fazer um queijo muito cremoso chamado strachino. "Um queijeiro estava tão apaixonado por uma gorgonzolense que, ao correr atrás dela, se esqueceu de fazer o strachino, diz Donatella Lavelli. Para que o patrão não percebesse, misturou o leite ordenhado na noite anterior com o da manhã seguinte.” As duas coalhadas, com temperaturas diferentes, provocaram bolhas de ar, onde se formaram os fungos.
Não existem documentos, mas segundo a história, o queijo nasceu por acaso e por amor.




Gorgonzola é um queijo azul, preparado à base de leite de vaca, prensado, curado e gorduroso, no processo de maturação, injetam-se fungos Penicillium, que lhe dá seu sabor característico. É amado ou odiado pelo seu gosto e cheiro fortes. Há pelo menos dois séculos não é mais produzido na cidade de origem.
É um dos ingredientes essenciais do molho quatro queijos, podendo ser usado na culinária ou apreciá-lo em uma tábua de queijos.

Parmesão


Um dos queijos mais apreciados, o parmesão ou Parmigiano-Reggiano é um queijo italiano e, tamanho é sua fama e versatilidade, que se tornou um dos queijos mais copiados em todo o mundo. Por ser um produto de denominação de origem protegida, a marca Parmigiano-Reggiano legalmente, só pode ser usada em queijos produzidos na região de Parma, Reggio-Emilia, Módena, Bolonha e Mântua (ao sul do rio Pó).

Suas principais características são o baixo teor de umidade e a textura granular, segundo o prof. Fernando Rodrigues, 2012. E é desta textura que recebe o nome de Grana. Não sendo cortado em fatias, e sim literalmente “aos pedaços”, com o auxílio de uma faca própria em formato de espátula, enfiando-a no queijo e retirando-lhe os pedaços.

Hoje em dia grande parte da produção deste queijo é feita com o leite de vacas da raça frisone, introduzidas no território por volta do ano 900, mas a vaca mais adaptada à produção dele é aquela vermelha da raça reggiana, animal com tripla aplicação (leite, trabalho e carne).

O Parmesão se apresenta sob forma cilíndrica, com faces planas, peso oscilando entre 5 e 6 kg. Sua crosta é grossa (4 a 8 mm), bem formada e lisa. A massa é dura, compacta e quebradiça, de untura seca, de cor amarelo-palha e odor e sabor picante e forte. É curado por até quatro anos (mínimo de 24 meses). Entretanto, aqui no Brasil, encontra-se parmesões com seis a um ano de maturação, destinados à produção de parmesão ralado.



Como usar: o parmesão ou parmegiano-reggiano é, sem dúvidas, o mais versátil dos queijos, compondo diversos pratos de todo o mundo, e iguaria imprescindível nos risotos e molho quatro queijos tradicional, por exemplo. Se harmoniza com um vinho tinto bem encorpado.


Informação nutricional - quantidade 100 gramas
Calorias 455
Cálcio (mg) 1.376
Proteína (g) 42
Umidade: 28 - 32%
Gordura: 22 - 24%
PH: 5,3 - 5,4
Sal: 2,0 - 2,5%

Queijo do reino


Queijo brasileiro oriundo da região da mantiqueira em Minas Gerais e foi uma inspiração do queijo Edam da Holanda, importado pela corte portuguesa para o Brasil. É um queijo semi-duro, maturado, de forma arredondada e casca avermelhada. Com seu sabor pronunciado e frutado e coloração mais intensa, é utilizado para o consumo de mesa, permitindo o seu fatiamento, além do uso na culinária em diversos pratos. Foi assim que surgiu o queijo do reino, sendo o primeiro queijo curado industrializado no Brasil.




Asiago


O Asiago é um queijo italiano, produzido na comuna de Asiago, província de Vicenza, região do Vêneto.
A região se tronou famosa em função de seu queijo e não pela batalha travada na Primeira Guerra Mundial entre os Austríacos e os Italianos.
O queijo asiago é produzido a partir de leite cru de vaca, tem formato cilíndrico, pesando de 8 a 20kg. A casca é lisa, acetinada com uma linda cor amarela quando jovem. À medida que envelhece ganha a cor amarelo-torrado. Existem dois tipos de asiago: o Pressato, que é elaborado com leite integral e curado por 20 a 30 dias, tem cor amarelo-claro, textura elástica e seu sabor e fragrância são doces e delicados. e o Asiago d'Allevo, um queijo maturado e o preferido pelos apreciadores de asiago. elaborado com leite desnatado, o longo processo de maturação (12 meses) resulta em um queijo frutado, levemente picante, de textura granulosa e compacta. No seu interior encontram-se pequenos buracos. Depois de maturado por dois anos, torna-se quebradiço.




Como usar:
Quando jovem é usado como queijo de mesa. Maturado, pode ser ralado sobre massas, risotos ou em gratinados. E também pode ser usado em sanduíches.


Fonte: revista Água na boca.

Pecorino

Este queijo é produzido a partir da mistura do leite cru de ovelha com o coalho de novilho. o pecorino tem suas características especificas dependendo da região e da forma como é produzido, o que significa que podem variar os tamanhos dos grânulos, o tempo de maturação e do tipo e leite empregado. as variações mais famosas sçao o romano, o sardo e o toscano. os pecorinos produzidos na região de Lazio e da Sardenha têm textura granulosa e sabor salgado e picante. já o pecorino toscano, quando jovem, tem textura flexível e sabor frutado, que lembra nozes e caramelo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário